Tucanos divergem até sobre forma de voto na convenção

Os dois grupos tucanos - os que defendem o apoio à reeleição do prefeito Gilberto Kassab (DEM) e os que querem candidatura própria com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) - não se entendem nem sobre a forma da votação na convenção.

Agência Estado |

Kassabistas, alegando risco de fraude, pedem que os votos sejam em papel. Os alckmistas dizem não ter motivos para descartar as urnas eletrônicas usadas nas últimas convenções.

O pedido do grupo pró-Kassab foi encaminhado à Executiva Municipal do PSDB na segunda-feira. Nós queremos ter segurança na fiscalização. A urna eletrônica não é a usada pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Temos mais certeza no papel, defendeu ontem o líder dos vereadores do PSDB, Gilberto Natalini.

O vereador Juscelino Gadelha foi mais direto ao assunto. O diretório contrata uma empresa para fazer a eleição (fornecer as urnas), quem vai controlar?, questionou.

Para os articuladores da campanha de Alckmin, a intenção dos kassabistas é controlar o voto dos 1.344 delegados convencionais. Eles querem é marcar os votos. Na urna eletrônica isso fica impossível, acusou o deputado Edson Aparecido. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

    Leia tudo sobre: psdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG