BRASÍLIA - A assessoria do líder do PSDB Arthur Virgílio Neto (AM) protocolou na manhã desta quinta-feira no Conselho de Ética da Casa a quarta denúncia contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), por quebra de decoro parlamentar. urn:schemas-microsoft-com:office:office /


Agência Brasil
Sarney volta a ser alvo de denúncia

No documento, o parlamentar pede ao colegiado que investigue a divulgação das gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal que comprovariam o envolvimento de Sarney com a contratação de Henrique Dias Bernardes, namorado de sua neta, por meio de atos secretos. 

O tucano cita no documento a reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, da última quarta-feira, que traz novos fatos sobre a participação de Sarney na publicação do ato secreto que nomeou Henrique. Diante da matéria publicada, não restam dúvidas quanto à participação do presidente do senado na publicação intencional de atos secretos, em concluio com o ex-diretor Geral desta Casa, o Sr. Agaciel Maia, diz Virgílio.

Sarney é alvo de outras três reclamações do tucano no Conselho de Ética e uma representação do PSol.

Ainda nesta manhã, os senadores Pedro Simon (PMDB -RS) e Cristovam Buarque (PDT-DF) reúnem-se para discutir a viabilidade de um pedido de reunião de emergência do Conselho de Ética ainda neste mês, antes do fim do recesso parlamentar, para apreciar a representação do P-Sol e as denúncias de Virgílio contra Sarney.

O pedetista considera que o próprio mandato de Sarney já está em risco ¿ diante das novas denúncias de envolvimento direto de Sarney na contratação secreta de parentes ¿ e não mais o simples afastamento do parlamentar da presidência da Casa.

(*Com informações da Agência Brasil)

Leia também:



Leia mais sobre: 
Senado  - atos secretos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.