Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovaram hoje a criação de um grupo que ficará responsável por analisar detalhadamente as contas dos partidos políticos e dos candidatos. A iniciativa foi tomada depois do surgimento de suspeitas de irregularidades em doações para campanhas, principalmente após a operação Castelo de Areia, da Polícia Federal (PF), que atingiu executivos da empreiteira Camargo Corrêa.

"Precisamos de uma unidade administrativa interna capaz de atuar como uma força tarefa instituindo uma auditoria especial para apurar certas denúncias, certas suspeitas", afirmou recentemente o presidente do TSE, Carlos Ayres Britto, ao propor a criação desse núcleo de auditoria. Os auditores deverão examinar as doações e os documentos apresentados pelos diretórios nacionais dos partidos, pelos comitês financeiros e pelos candidatos a presidente e vice-presidente da República nas prestações de contas. Segundo Ayres Britto, deverá ser feito um controle do conteúdo e da veracidade dos documentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.