TSE nega liminar para deputado trocar PMDB pelo PR

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou sábado liminar ao deputado federal Geraldo Roberto Siqueira de Sousa (PMDB-RJ), o Geraldo Pudim. O parlamentar impetrou ação na sexta-feira alegando justa causa para deixar o PMDB, partido pelo qual foi eleito em 2006.

Agência Estado |

O ministro do TSE responsável pelo caso, Marcelo Ribeiro, não aceitou a justificativa dada pelo peemedebista.

Pudim diz no pedido de desfiliação que vem sofrendo discriminação pessoal por parte do PMDB e do diretório estadual do partido no Rio de Janeiro. De acordo com o parlamentar, a sigla vem considerando como "persona non grata" na legenda quem é contra à candidatura à reeleição do governador Sérgio Cabral (PMDB). O parlamentar alega temer não ser escolhido em convenção partidária da sigla para concorrer à reeleição no ano que vem, ficando sem partido para a disputa a eleitoral.

Na avaliação de Marcelo Ribeiro, não ficou comprovado no pedido de liminar a ameaça de boicote do PMDB à candidatura de Pudim. O ministro ressalta que a eventual desfiliação não pressupõe a perda de seu mandato político. De acordo com ele, cabe uma ação de justa causa, como foi ajuizada pelo parlamentar, apenas se o PMDB requerer a vaga na Justiça.

Pudim faz parte do grupo de peemedebistas que apoiam o lançamento do nome do ex-governador Anthony Garotinho (PR) na disputa pelo Palácio Guanabara em 2010. Em junho deste ano, Garotinho deixou o PMDB com o propósito de sair candidato pelo PR. O deputado afirma que pretende se filiar ao PR antes do dia 3 de outubro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG