Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começaram a julgar na sexta-feira os primeiros recursos de candidatos a prefeito, vice-prefeito, vereadores e coligações impugnadas ou questionadas em primeira instância. Dos 21 recursos analisados, apenas um ficha suja teve a aprovação da candidatura pelo TSE.

O candidato à Prefeitura de Senador Amaral, em Minas Gerais, Benedito Justino Caetano (PMDB), havia sido impugnado porque responde a 58 processos por improbidade administrativa. Neste caso, o TSE seguiu a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) que libera os candidatos "fichas sujas" a concorrer ao pleito eleitoral de 2008.

Treze recursos foram rejeitados pelos ministros. Em outros três casos, os relatores negaram o efeito suspensivo das decisões anteriores solicitado pelos candidatos. A maioria dos recursos negados trata de impugnações por irregularidades ou ausência de prestação de contas em campanhas eleitorais. Dois recursos foram negados porque os candidatos a vereador não estavam em dia com suas obrigações eleitorais. Outros dois recursos que questionavam coligações (uma do PT de Ciríaco, no Rio Grande do Sul, e outra do PT de Diamantina, em Minas Gerais) também foram indeferidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.