TSE decide que não responderá à consulta do DEM sobre propaganda eleitoral antecipada

BRASÍLIA - Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram por unanimidade, na sessão de quinta-feira à noite, que a Corte não responderá à consulta sobre propaganda eleitoral antecipada contra o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. A consulta foi feita pelo presidente nacional do partido, o deputado federal Rodrigo Maia (RJ).

Agência Brasil |

A consulta foi protocolada em 18 de fevereiro e questionava se a realização de eventos que, a pretexto de difundirem os feitos de gestões governamentais em andamento, buscam impulsionar a pré-candidatura de determinados agentes públicos, poderia ser considerada propaganda antecipada. O tribunal entendeu que não pode se manifestar pois a consulta se trata de um fato concreto.

A consulta foi protocolada junto com uma representação do PSDB e do DEM contra a participação de Lula e Dilma no Encontro Nacional de Prefeitos, realizado em Brasília, no início de fevereiro. Como o tribunal entende que a consulta se refere ao mesmo fato, não responderá o pedido

Segundo informou o TSE, a jurisprudência da Corte é pacífica e aponta no sentido de que, quando tratar de um caso concreto, a consulta não pode ser conhecida. 

    Leia tudo sobre: tse

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG