Trote dá falsa esperança à família de padre desaparecido

Um trote à família do padre Adelir de Carli, de 41 anos, desaparecido desde o dia 20, quando alçou vôo carregado por mil balões de festa, deu ontem falsas esperanças aos familiares do religioso.

Redação com Agência Estado |

Reprodução
Os parentes receberam uma ligação que informava que o padre estava no Rio Grande do Sul, mas a informação foi desmentida pelo Comando do 5º Distrito Naval.

A Marinha suspendeu as buscas ao padre no fim da tarde de sábado. A família de Carli chegou a alugar um avião para reforçar as buscas. Ainda segundo o Comando, apenas bombeiros voluntários do município de Penha, em Santa Catarina, continuam procurando o padre.

Mesmo com as buscas encerradas, fiéis ainda tem esperança de encontrar o padre com vida. "A esperança de encontrá-lo com vida permanece. Ainda acreditamos e vamos sempre acreditar", disse Denise Gallas, coordenadora da pastoral de Paranaguá.

Arte/US

1° vôo

Em 13 de janeiro deste ano, Carli realizou um vôo com a ajuda de 500 balões cheios com gás hélio. Ele saiu de Ampére, no sudoeste paranaense, atingiu 5.337 metros e desceu quatro horas e 15 minutos depois, a 110 quilômetros dali, em San Antonio, na Argentina.
Segundo ele, o recorde de altitude anterior era de 3,9 mil metros, de um norte-americano.

Trabalhos na paróquia

A paróquia São Cristovão foi fundada em 14 de fevereiro de 2004 e é formada por treze capelas. Além de missas no local, o padre realiza um trabalho de evangelização junto aos caminhoneiros. Com a ajuda de um "caminhão-capela", a equipe também vai até postos de gasolina e conversa com os motoristas. "O padre trabalha muito, é muito atuante. Ele faz esportes radicais porque diz que não tem tempo para ficar na academia", afirmou a amiga Denise Gallas, coordenadora da Pastoral Rodoviária.

Leia também:

Leia mais sobre: padre - balões

    Leia tudo sobre: padre

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG