Duas mulheres e um homem foram presos, por volta das 21 horas de segunda-feira, 22, após manterem refém, por quase 27 horas, uma comerciária, de 31 anos, sequestrada no início da noite de domingo, 21, quando chegava em casa, no bairro do Itaim Paulista, zona leste de São Paulo. Dominada pelo criminoso, que teria simulado estar armado, a vítima foi levada até o cativeiro, um terreno baldio onde já funcionou uma garagem de ônibus, na Rua Manoel Bueno da Fonseca, a dois quilômetros da delegacia do Itaim (50ºDP), onde foi imobilizada pelos braços com fita plástica adesiva.

As duas mulheres, segundo policiais militares da 1ª Companhia do 29º Batalhão - responsáveis pela prisão dos sequestradores -, ficaram com a incumbência de vigiar a vítima.

Na noite de segunda-feira, 22, o rapaz que havia dominado a vítima resolveu deixar o cativeiro por alguns minutos. Ao perceber um vacilo das duas comparsas do criminoso, a comerciária correu e conseguiu escapar, ligando para a polícia. Os policiais militares foram para o local e detiveram o trio. Duas adolescentes que estavam no mesmo terreno, mas que não participaram do crime, serão encaminhadas para a Fundação Casa (antiga Febem).

"Como não deram comida para a vítima, os sequestradores forçaram-na a consumir cocaína. Ela chegou a apanhar. Num determinado momento, ao acordar, ela se viu seminua. Há indício de que houve estupro", afirmou o cabo Reginaldo, um dos policiais que realizaram a prisão dos três criminosos. Nenhum dos bandidos portava documentos. Até as 2 horas desta terça-feira, 23, os documentos da comerciária não haviam sido encontrados. "Eles (os bandidos) não chegaram a pedir algum valor de resgate e, a princípio, nada foi sacado da conta da vítima", completou o policial militar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.