Tribunal suíço aceita libertação de Polanski com pagamento de fiança

Genebra, 25 nov (EFE).- O cineasta franco-polonês Roman Polanski, detido na Suíça há dois meses, poderá sair da prisão depois do pagamento de uma fiança de 4,5 milhões de francos (3 milhões de euros).

EFE |

A sentença foi determinada hoje pelo Tribunal Penal Federal, que aceitou o recurso do diretor contra sua prisão preventiva.

"O tribunal considerou que a fiança, combinada com outras medidas, tais como o depósito de seus documentos de identidade e sua transferência para uma residência sob controle eletrônico, deve ser suficiente para evitar o risco de fuga", de acordo com a decisão judicial.

A sentença determina que a decisão de liberdade pelo pagamente de fiança ainda pode ser recorrida.

Polanski, de 76 anos, foi detido no dia 26 de setembro ao chegar ao aeroporto de Zurique, cidade em que seria premiado em um festival de cinema local.

A detenção foi realizada em resposta a uma ordem de busca emitida pelos EUA e frente a sua extradição do país, de onde tinha fugido em 1978 após ter sido declarado culpado de ter mantido relações sexuais com uma adolescente de 13 anos um ano antes.

Polanski enfrentará uma pena máxima de até dois anos se for devolvido aos EUA para prestar contas diante da Justiça pelo caso.

Desde sua detenção, o cineasta esteve preso em uma penitenciária localizada em Winterthur, a 19 quilômetros de Zurique.

Após sua libertação pelo pagamento da fiança, o cineasta deve ser transferido para o chalé que possui na luxuosa estação de esqui de Gstaad. EFE vh/pd

    Leia tudo sobre: roman polanski

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG