LOS ANGELES (Reuters) - Um tribunal de apelação da Califórnia negou nesta segunda-feira uma tentativa de advogados de Roman Polanski de ter uma acusação contra o cineasta retirada sob alegação de má conduta jurídica. Mas em seu decreto, a Corte de Apelação do 2o Distrito da Califórnia disse que não desprezava as alegações extremamente graves levantadas pelo caso e instou as partes a adotarem medidas para investigar e responder às alegações.

O cineasta franco-polonês Roman Polanski, cujos trabalhos incluem "O Pianista" e "Chinatown", está sob prisão domiciliar na Suíça, onde está detido por causa de um caso de mais de 30 anos, no qual ele alegou a culpa de ter feito sexo com uma menor de idade. Em 1978, Polanski fugiu dos EUA antes de ser formalmente sentenciado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.