Tribunal de Contas da União vira alvo de críticas em cerimônia de posse de Padilha

BRASÍLIA ¿ A posse do novo ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, que vai substituir José Múcio, indicado pelo presidente para ocupar uma vaga no Tribunal de Contas da União (TCU), virou palco de críticas tanto de Padilha como do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao tribunal.

Christian Baines, repórter em Brasília |


Lula tem criticado em quase todos os seus discursos a paralisação de obras públicas por supostas irregularidades apontadas TCU. Ele afirmou em diferentes ocasiões que deveria ser realizado um trabalho para medir os valores gastos dos cofres da União por conta das interrupções de obras. É preciso achar um jeito mais fácil de as coisas acontecerem no País, afirmou.

Reuters
novo ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha
Alexandre Padilha toma posse como ministro de Relações Institucionais  

O presidente disse que vai se reunir com líderes parlamentares, empresários e ministros do próprio tribunal para buscar uma maneira de evitar tamanha quantidade de paralisações. Vamos fazer uma reunião para tentar definir um comportamento que não diminua o TCU, mas também não coloque uma quantidade de obras paralisadas sem explicação.

Novo articulador político do presidente, Padilha fez um pedido de amigo a Múcio e aproveitou para alfinetar as normas do TCU.

Queria dizer, como amigo, o senhor que está indo para o TCU, quando for montar a sala com as fotos dos seus filhos e das suas filhas - que o senhor carrega em todos os momentos - leve junto com o senhor aquela foto do prefeito de Rio Formoso (PE) [município do qual Múcio foi prefeito na década de 1980]. (Fotografia) Daquele jovem que quando tinha 30 e poucos anos, deixou a vida de engenheiro para ser prefeito, para servir a população de sua cidade. (Leve-a) para que ele fique vigiando o senhor, porque a gente sabe que, às vezes, a interpretação das normas (do TCU) está aquém da urgência e da necessidade do povo brasileiro.

Relação com Congresso

Em seu discurso na solenidade, Lula ainda elogiou o trabalho que Múcio realizou em cerca de um ano como ministro das Relações Institucionais e pediu que Padilha continue dando atenção às demandas dos parlamentares e dos prefeitos municipais.

"Muita gente acha que deputado é chato, senador é chato e que só vão pedir alguma coisa, mas tem que ter reciprocidade, compreensão. A gente não pode ter relação com deputado e senador quando estamos no sufoco para ter maioria para votar alguma coisa lá dentro. Tanto eles precisam que o governo contribua para que as coisas aconteçam no Congresso, como nós", disse.

O presidente também elogiou o Congresso Nacional, chamando-o de a cara da sociedade brasileira no dia das eleições. "Talvez eu passe pela história como o único presidente que não tenha feito críticas nem nos bons nem nos maus momentos ao Congresso. Eu, mesmo quando tenho que dizer, não digo. A gente precisa aprender a respeitar o Congresso Nacional porque com todos os defeitos que ele tem, é a cara da sociedade brasileira no dia das eleições", afirmou.

Leia mais sobre: Padilha

    Leia tudo sobre: alexandre padilhajosé múciotcu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG