SÃO LUÍS ¿ Três funcionários da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) sã mantidos reféns desde sábado por índios gaviões da aldeia Riachinho, no município de Amarante do Maranhão, a 703 quilômetros de São Luís.

Acordo Ortográfico

Os indígenas exigem que a secretaria assine um termo de compromisso da entrega de uma nova escola na aldeia. A promessa foi feita no início deste ano, no entanto, as obras não foram iniciadas. Atualmente, os índios estudam em escolas feitas com madeira ou então em instituições fora da aldeia.

Segundo a Funai, a nova escola foi orçada, mas ainda está com piso de chão e sem reboco. Dacordo com o órgão federal, os reféns passam bem e estão dentro da casa de uma professora indígena. Eles têm acesso à área externa do local. Os índios prometeram soltar os reféns quando for entregue um documento que comprove a finalização da construção da nova escola.

De acordo com a Secretaria Estadual de Engenharia, um formulário protocolado no Ministério Público será entregue aos indígenas ainda nesta quinta-feira. Cerca de 60 índios fazem parte da aldeia Riachinho.

Leia mais sobre: indíos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.