O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Wilson Trezza, informou hoje que o governo prepara novas regras para dar transparência aos trabalhos conjuntos da instituição com outros órgãos da área de segurança, como a Polícia Federal (PF). Haverá uma tentativa de regulação mais detalhada do que havia nesse tipo de relação (PF-Abin), com critérios, formalização.

Acho que cabe também um pouco mais de transparência para que todos tenham tranquilidade e para que essa relação aconteça dentro da legalidade." Trezza, que ocupava interinamente o cargo há um ano e quatro meses, foi efetivado hoje na função.

Em entrevista realizada após a posse, Trezza afirmou que a crise provocada pela Operação Satiagraha trouxe "amadurecimento" para a Abin e seus profissionais, alguns acusados de participar ilegalmente das investigações. Segundo ele, uma recente manifestação do Ministério Público Federal (MPF), que julgou a participação da Abin no episódio, isentou a agência de ilegalidade. A Satiagraha, da PF, investigava desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro e resultou na prisão de banqueiros, diretores de banco e investidores.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Jorge Armando Felix, que tem a Abin sob sua coordenação, afirmou que ocorre neste momento um processo de reestruturação do sistema de segurança que resultará numa integração maior entre todos os órgãos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.