O secretário de Planejamento, Orçamento e Administração da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Wilson Roberto Trezza, responderá pelo órgão até o término das investigações sobre a responsabilidade pelo grampo telefônico no Supremo Tribunal Federal (STF). A portaria do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República foi publicada hoje no Diário Oficial da União.

Em outra portaria, o Gabinete determinou o afastamento "preventivo" do diretor-geral da Abin, Paulo Lacerda, do diretor-geral adjunto, José Milton Campana, e do diretor de Contra-Inteligência, Paulo Maurício Pinto. Os três, segundo a portaria, passam a responder "pelo expediente" no Gabinete de Segurança Institucional. O afastamento dos diretores foi definido ontem, após reunião no Palácio do Planalto que contou com a participação de ministros do Supremo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.