O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) de São Paulo suspendeu por três meses, na sessão plenária de ontem, o repasse de cotas do fundo partidário ao diretório regional do Partido Popular Socialista (PPS). Os juízes também determinaram que a agremiação recolha ao Fundo Partidário R$ 62.

116,46, quantia sem comprovação de origem.

A suspensão do repasse de recursos do fundo ocorreu porque o partido teve as contas do exercício de 2005 reprovadas. De acordo com o julgamento, o PPS arrecadou cerca de R$ 16 mil sem a devida tramitação dos valores pelas contas bancárias e deixou de comprovar outros R$ 15 mil de despesas com serviços prestados por terceiros, entre outras irregularidades apontadas. Para a decisão cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.