O prefeito de Praia Grande, Roberto Francisco dos Santos (PSDB), comemorou a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que julgou ontem improcedente as acusações de compra de votos nas eleições municipais de 2008. A decisão do TRE foi unânime e considerou que as provas não tinham credibilidade.

A defesa do candidato derrotado nas eleições, Alexandre Cunha (PMDB), vai recorrer.

Em entrevista coletiva realizada hoje, Roberto Francisco afirmou que é inocente e não se envolveu em qualquer tipo de fraude eleitoral. "As pessoas têm que disputar a eleição e ganhá-la no voto, sem mentiras e denúncias. Não comprei votos e nem orientei ninguém que trabalhou na equipe a cometer essa fraude. Não agi contra a lei. Se eu tivesse dinheiro para comprar 53 mil votos, não trabalharia, estaria em casa", disse.

O prefeito e seu vice, Arnaldo Amaral (PSB), tiveram seus mandatos cassados em 1ª instância em outubro do ano passado, quando o juiz da 317ª Zona Eleitoral de Praia Grande, João Luciano Sales do Nascimento, considerou cabíveis as provas de que ocorreu compra de votos nas eleições em que Cunha foi derrotado por apenas 3.554 votos.

A advogada do peemedebista, Janaina Ballaris, criticou a decisão do TRE e afirmou que vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "Essa decisão coroa a impunidade, coroa a corrupção. Se pedirem uma estatística do TRE-SP e compararem com o Brasil, vão descobrir que o TRE paulista não cassa ninguém", argumentou a advogada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.