Três são acusados por fraudar Bolsa Família no Pará

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou hoje à Justiça três pessoas acusadas de cometer saques ilegais em nome de beneficiários do programa Bolsa Família, em Altamira, no Pará. De acordo com o ministério, em fevereiro de 2009, uma denúncia anônima levou a Caixa Econômica Federal no município a receber informações sobre fraudes nos saques dos benefícios do programa.

Agência Estado |

Após a análise dos cadastros efetuados durante o período de janeiro a fevereiro de 2009 pelo funcionário Jazon Silva Nascimento, foi apurado que os documentos não possuíam os respectivos termos de responsabilidade para o uso de senha.

A apuração também identificou que as senhas cadastradas pelo servidor eram referentes aos beneficiários com endereço em municípios próximos a Altamira, como Uruará, Brasil Novo e Medicilândia.

Em contato com uma das cadastradas, moradora de Uruará, a Caixa descobriu que a cliente desconhecia o fato de ser uma das contempladas do programa e que também não sabia da existência do cartão para o saque do benefício.

Depois dessas constatações, a Caixa confirmou que o funcionário pagou benefícios sem a presença do beneficiário e que, além dele, mais dois homens estavam envolvidos no esquema: Gilson Buffon Vaz e Cristiano da Silva Costa, preso em flagrante no momento em que ele utilizava cartões do programa em nome de terceiros para fazer saques. Em poder do acusado foram encontrados 12 cartões do Bolsa Família.

A denúncia de estelionato envolvendo os três participantes foi registrada na Polícia Federal e, de acordo com o inquérito, Nascimento é considerado o mentor intelectual do esquema, valendo-se da função de caixa de ponto de venda para desbloquear os cartões e cadastrar uma senha para cada, posteriormente sacando os benefícios ou repassando os cartões e as senhas a Gilson e a Cristiano, que realizavam os saques nos caixas de autoatendimento e repassavam os valores ao primeiro denunciado.

Durante as investigações, a polícia apreendeu uma arma calibre 38 e munição na casa de Nascimento, mas o acusado não possuía registro nem autorização para o porte da arma.

Ainda de acordo com o inquérito, apurou-se que 35 cartões de benefícios do programa Bolsa Família foram utilizados nessas operações durante 11 meses, no período de julho de 2008 a maio de 2009, totalizando 385 saques ilícitos.

Os envolvidos foram denunciados por estelionato. Nascimento também foi denunciado por porte ilegal de arma de fogo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG