SÃO PAULO - O Corpo de Bombeiros realiza buscas neste domingo para tentar localizar três banhistas que desapareceram no mar de Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, neste feriado prolongado da Semana Santa.

Um deles, um jovem de aproximadamente 20 anos, sumiu no fim da manhã de sexta-feira, 10, na praia do Sapê.

Os outros dois casos ocorreram no sábado, entre 11 e 16 horas. Um deles na praia Dura, onde afogou-se um morador de Barueri, de cerca de 50 anos. O outro desaparecido é um turista de Leme, de 22 anos, que estava na praia do Tenório.

No sábado, 11, um senhor de 59 anos morreu após se afogar na praia Itararé, em São Vicente, na Baixada Santista. Segundo os bombeiros, ele chegou a ser socorrido e foi levado a um hospital, mas não resistiu.


Turistas observam ondas gigantes em Santos / AE

Mortes no Rio

No segundo dia da ressaca que atinge o litoral brasileiro, muita gente foi para a orla do Rio ver o espetáculo das ondas gigantes. Em um trecho do Leblon, na zona sul da cidade, a água invadiu as duas pistas, deixando-as cobertas de areia. A Guarda Municipal chegou a interditar o trânsito para garantir a segurança dos motoristas enquanto garis da Comlurb retiravam a areia.

As praias continuam com bandeira vermelha, indicando que o banho está proibido, mas, mesmo assim, alguns banhistas arriscam um mergulho. Durante todo o sábado, bombeiros do Grupamento Marítimo fizeram 439 salvamento nas praias cariocas.

O corpo de um homem ainda não identificado apareceu no canal do Jardim de Alah, no Leblon. Na Ilha Grande, no sul do Estado, o inglês Peter Charles Cox, de 46 anos, morreu afogado, ao desrespeitar a bandeira vermelha de proibição de banhos.

Mas, o mar agitado não assustou os surfistas, que se deliciam deslizando nas grandes ondas. Para eles, o difícil é passar da arrebentação, como destacou o paulista Márcio Lima de Araújo.

Vim passar o fim de semana no Rio de Janeiro e claro que vou aproveitar essas ondas maravilhosas, que nem sempre aparecem no litoral carioca. Depois que a gente consegue passar da arrebentação fica tudo lindo.

Todo molhado, o também paulista João Guilherme, de 12 anos, que veio passar o fim de semana com a avó, se divertia com as enormes ondas no mirante do Leblon. É a primeira vez que vejo ondas tão grandes. Dá um pouco de medo, mas é muito legal tomar banho com essa chuva vinda do mar, disse ele.

O vendedor ambulante Gilmar Santiago Vieira, de 42 anos, que aluga cadeiras de praia e vende água e refrigerantes na praia do Leblon, também gostou do espetáculo. Mesmo com o prejuízo por não conseguir vender a mercadoria, ele se mostrava satisfeito. Tudo o que vem de Deus é maravilhoso. Estou aqui comendo um biscoitinho e amanhã é outro dia e aí a luta continua.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, o mar no litoral do Rio de Janeiro continuará de ressaca até segunda-feira.

* com informações das agências Estado e Brasil

Leia mais sobre: ressaca

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.