Três pessoas da mesma família morrem soterradas

A chuva voltou a deixar vítimas no Estado de São Paulo. Três pessoas de uma mesma família morreram soterradas em meio aos escombros da casa onde moravam, atingida pelo deslizamento de terra de uma encosta em Francisco Morato, na Grande São Paulo, na noite desta quinta-feira.

Agência Estado |

AE
Local que que família morreu soterrada

Local que que família morreu soterrada

Com elas, sobe para 69 o número de mortes em decorrência das chuvas no Estado desde o último dia 1º de dezembro. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), chove em São Paulo há 38 dias consecutivos.

Os corpos das vítimas - identificadas, por enquanto, apenas como o casal Vagner e Iara e a filha adotiva Amanda, de 14 anos - foram resgatados pelos bombeiros por volta das 4h30 desta sexta-feira.

O deslizamento havia acontecido cerca de oito horas antes. Eles moravam em uma casa de fundos na Avenida Hortência Escobar Nunes, no Jardim Aparecida. Na residência da frente morava um outro filho do casal, com a esposa e duas crianças, de 4 e 6 anos. Os dois imóveis ficaram destruídos.

A família moradora da casa da frente ficou parcialmente soterrada. O homem conseguiu livrar-se dos escombros e retirar a mulher e os filhos do local, com a ajuda de vizinhos. Todos foram levados à Santa Casa da cidade. Apenas o homem sofreu ferimentos nos braços e nas pernas. Todos já tiveram alta e passam bem.

Pás e enxadas

Assim que aconteceu o acidente, moradores das imediações se reuniram com pás e enxadas e começaram a cavar na tentativa de resgatar os corpos. "Foram entre 40 e 50 pessoas que passaram três horas e meia cavando. Os bombeiros chegaram mais de duas horas depois do acidente. Só paramos (de cavar) um pouco mais tarde, quando eles mandaram", relatou o motorista Ademar Silva Santos, de 49 anos.

Santos, que é bastante conhecido no Jardim Aparecida, foi avisado por vizinhos do deslizamento. Ele conta que, ao chegar ao local, ainda conseguiu ouvir gritos de Valter, que já estava soterrado. "Primeiro ele gritou: 'Amanda, Amanda' e depois gritou 'socorro'. Daí já não ouvimos mais nada".

Conforme Santos, a família toda havia se mudado para as duas residências no último sábado, 23. "Eles já moravam em uma casa própria, aqui no bairro, mas de um outro lado, perto do Parque 120. Então eles compraram essa casa aqui, que é mais barato, e alugaram aquela onde moravam antes", explicou.

Equipes do Corpo de Bombeiros de Guarulhos, São Paulo e Franco da Rocha trabalharam no resgate das vítimas. Cães farejadores também foram usados nas buscas pelos corpos.

Parte da Avenida Caetano de Ernesto Mezotero, que passa rente à parte de cima do barranco, também desabou. A via faz parte do itinerário do ônibus da Viação Moratense, linha Represa-Parque Santana. A via terá de ser interditada.

AE
Chuva alaga ruas na Grande São Paulo

Chuva alaga ruas na Grande São Paulo


Prefeito é vaiado

O prefeito de Francisco Morato, José Aparecido Bressane (PT), foi recebido com hostilidade pelos moradores do Jardim Aparecida. Ele permaneceu no local por cerca de meia hora durante a madrugada, para acompanhar os trabalhos de resgate das vítimas, feitos pelo Corpo de Bombeiros. Os moradores vaiaram Bressane e cobraram providências para os locais afetados pelas chuvas.

"Temos dificuldade porque toda a cidade está nessa situação", disse o prefeito. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, no último mês foram atendidas mais de 200 ocorrências diversas em Francisco Morato em decorrência das chuvas. A corporação agora trabalha em um mapeamento das áreas de risco.

Durante a madrugada, outros dois deslizamentos atingiram a cidade: na Rua Paraná, no Parque 120 e na viela 2, na Rua Margarida, Jardim Rosa. Este último deixou uma pessoa ferida. Willian Silva de Oliveira morava em uma casa construída na encosta de um morro. Ele foi levado, consciente, à Santa Casa da cidade, com um ferimento na cabeça. Ainda de madrugada, Oliveira deveria passar por uma tomografia para avaliar a extensão das possíveis lesões.

Corpo de criança é encontrado na zona sul

Os bombeiros encontraram às 21h30 desta quinta-feira, 28, o corpo do estudante Carlos Gabriel Ferreira do Rosário, de 11 anos, que desapareceu horas antes, durante a chuva da tarde no Jardim Capelinha, zona sul de São Paulo. Ele foi localizado em uma usina de tratamento de esgoto do bairro de Pedreira, na Avenida Nossa Senhora do Sabará, altura do 5.300, na Vila Emir. A mãe do menino foi chamada e reconheceu o corpo, que foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) à 1h05 desta sexta-feira.

Há duas versões para o sumiço do estudante. Uma, contada por moradores, é de que ele teria escorregado e caído ao molhar o pé no córrego que corta a favela do bairro, e então foi arrastado pela força das águas. Outra, relatada pelos amigos com quem ele brincava, é de que Gabriel estava próximo de um bueiro destampado e acabou caindo na galeria de águas pluviais.

O corpo da 65ª vítima das chuvas, o lavrador José Milton do Carmo, de 34 anos, foi encontrado em Cunha, interior paulista. Ele morreu ao ser arrastado pela correnteza de um riacho do bairro da Gabiroba, quando tentava atravessá-lo de moto. O acidente teria acontecido por volta das 22 horas da última terça-feira.

Alerta

A Defesa Civil decretou preventivamente nesta manhã estado de alerta por conta do risco de deslizamento de terra para as regiões dos bairros Freguesia do Ó, Pirituba/Jaraguá, Santana, Aricanduva/Formosa, Ermelino Matarazzo, Guaianases, Itaim Paulista, Penha, Cidade Tiradentes, Vila Prudente, Campo Limpo, Ipiranga e M'Boi Mirim. Ainda segundo órgão, os bairros de Itaim Paulista e São Miguel estão em estado de alerta para enchentes.

Já as regiões da Casa Verde, Jaçanã/Tremembé, Perus, Itaquera, São Miguel Paulista, São Mateus, Butantã, Lapa, Capela do Socorro, Parelheiros e Cidade Ademar estão em estado de atenção - condição de cuidado em nível logo abaixo do estado de alerta - para deslizamento. O órgão ressaltou que a medida é preventiva, já que as chuvas podem vir a causar enchentes, inundações e deslizamentos.

AE
Pessoas se arriscam para atravessar enchente

Pessoas se arriscam para atravessar enchente

Interior

As equipes de resgate do Corpo de Bombeiros retomaram na manhã de quinta-feira, 28, as buscas a dois homens que desapareceram durante os temporais da tarde de terça-feira em Alumínio e em São Roque, no interior de São Paulo. Em São Roque, as buscas se concentravam no Córrego Araçari, onde um homem que sofre de deficiência mental teria caído durante a chuva. O córrego havia transbordado e, segundo testemunhas, o homem caminhou em direção à correnteza. Em Alumínio, os bombeiros procuravam o corpo de Adauto Vaz, de 35 anos. Ele teria tentado passar um trecho alagado com sua bicicleta e acabou caindo no Córrego Varjão.

Leia também:

Leia mais sobre chuva

    Leia tudo sobre: chuvachuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG