Apenas três municípios do Estado de São Paulo concentram 41,3% do total de casos de dengue registrados este ano. Araraquara, Ribeirão Preto e Mogi-Guaçu, todos no interior paulista, lideram o ranking de notificações com 1.

142, 946 e 548 notificações confirmadas, respectivamente.

Além da grande incidência de contágio, outro ponto em comum das cidades são as altas temperaturas, que predominam o ano inteiro. Segundo especialistas, isso influencia na infecção, já que o calor diminui o tempo do ciclo de reprodução do mosquito. Quando os termômetros marcam 30ºC, a larva vira Aedes em apenas uma semana, quando o período normal é de 15 dias.

Já na capital paulista, ainda que a doença esteja disseminada, alguns bairros se destacam. Dos 188 registros totais, 31 estão em Vila Jacuí (Zona Leste), 13 em Raposo Tavares (Zona Oeste), 10 no Grajaú (Zona Sul) e 10 em Guaianases (Zona Leste).

A explicação para a liderança dos distritos é que eles misturam alta densidade populacional e baixa infra-estrutura urbana. Como o mosquito Aedes tem capacidade de contaminar até 15 pessoas em um único vôo, regiões com estas características, costumam registrar maior incidência da doença. As informações são do Jornal da Tarde.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.