Trem entre Rio e São Paulo transformará o país, diz superintendente da ANTT

Madri, 18 nov (EFE).- O trem de alta velocidade entre Rio de Janeiro e São Paulo transformará o sistema de transportes brasileiro, afirmou hoje o superintendente de Serviços de Transporte de Cargas da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Noboru Ofugi.

EFE |

Após apresentar a membros da Câmara de Comércio de Madri o projeto de licitação, cujo modelo será definido hoje em reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Ofugi afirmou que a prioridade será a eficiência do sistema e que espera que parte dele esteja em funcionamento até a Copa do Mundo de 2014, que acontecerá no Brasil.

"Se obtivermos um sistema que consiga melhorar bastante o acesso dos organizadores e da população (ao evento), sem dúvida já seria um avanço significativo, mas nossa expectativa é que pelo menos alguns trajetos fiquem prontos e que ajudem na mobilização das pessoas até esse período", disse, em entrevista à Agência Efe.

Ofugi afirmou que as principais empresas interessadas em participar do projeto são de Espanha, França, Alemanha, Japão e Coreia do Sul, que deverão demonstrar experiência em engenharia ferroviária, trens de alta velocidade e implementação de sistemas completos destas características.

O superintendente explicou que a empresa que obtiver a concessão através de licitação pública se encarregará da construção de mais de 500 quilômetros de linha férrea, oito estações, a um custo total de US$ 18 bilhões, para o qual terá liberdade de tarifas com um preço máximo.

Em sua apresentação, Ofugi exibiu o plano do Governo de linhas ferroviárias de via larga que percorrerão o território brasileiro de norte a sul e de leste a oeste, além de planos de infraestrutura de estradas, como 2 mil quilômetros que começaria a ser construídos no próximo semestre em Minas Gerais.

O conselheiro comercial da Embaixada do Brasil na Espanha, Claudio Garón, destacou que o Brasil conta com um mercado de classe média equivalente a 80 milhões de pessoas.

Além disso, destacou as oportunidades para o investimento que serão geradas pela Copa de 2014 e pelos Jogos Olímpicos, que serão realizados no Rio de Janeiro em 2016.

"Ambos os eventos necessitam uma quantidade de obras que já começaram a ser realizadas e muitos investimentos", disse, na apresentação a empresários madrilenos. EFE gzl/pd

    Leia tudo sobre: transporte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG