Embarcar de bonde no centro, almoçar ou fazer um lanche no caminho e seguir para o Cristo Redentor - podendo usufruir, se necessário, de um amplo centro de convenção. A proposta integra o Programa de Revitalização Turística e Ambiental do Corcovado e de seu Entorno, que será apresentado no dia 11 de maio.

Para tanto, o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) vai lançar neste mês um concurso para reativação do antigo Hotel das Paineiras, na subida para o Corcovado, no Parque Nacional da Tijuca. Os ministros do Meio Ambiente, Carlos Minc, e do Turismo, Luiz Barreto, se reuniram ontem com representantes de diversas secretarias estaduais e municipais do Rio para discutir essa e outras ações.

A intenção é transformar o Paineiras num complexo turístico-ambiental, com centro de convenções, lojas temáticas, restaurantes - o Silvestre voltará a funcionar - e um amplo estacionamento. Também está prevista a recuperação da Estação Silvestre do bondinho de Santa Teresa, com a consequente integração com o trem do Corcovado. Como o maior obstáculo é a segurança, uma vez que essa área fica próxima das Favelas Guararapes e Cerro Corá, o projeto pretende qualificar e criar empregos para os moradores. “Não adianta nada revitalizarmos toda a área do parque, se essas comunidades não forem pacificadas”, disse Minc.

Segundo ele, a Secretaria de Segurança Pública do Estado vai instalar um batalhão de Polícia Militar próximo do hotel e fará uma ocupação semelhante a realizada no Morro Dona Marta, favela em Botafogo, na zona sul do Rio, que não tem mais tráfico organizado. Também neste mês, a União, o Estado e o município devem assinar um contrato de cogestão do parque, que atualmente é administrado apenas pelo Instituto Chico Mendes. Durante uma reunião ontem, que durou quase duas horas, no prédio desativado do hotel, se criou um grupo de trabalho para formatar os detalhes do projeto, calculando custos e prazos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.