Trem do Corcovado pode parar amanhã, diz governo

O Trem do Corcovado pode deixar de operar a partir de amanhã. Em nota divulgada no início da noite de hoje, o Ministério do Planejamento informou que a empresa que operava o serviço, a Estrada de Ferro do Corcovado (Esfeco), venceu a licitação para a renovação do contrato.

Agência Estado |

Só que até hoje a empresa não assinou o novo contrato.

Segundo o Ministério do Planejamento, a Gerência de Patrimônio da União no Rio de Janeiro notificou hoje pela manhã a empresa Estrada de Ferro do Corcovado (ESFECO Administração Ltda.), que administra o serviço, para que devolva o imóvel à União por término do contrato.

Pela exploração do serviço, a Esfeco pagava mensalmente à União R$ 380 mil. A empresa venceu a nova licitação com um lance de R$ 1,1 milhão. Para contornar o fato de a empresa não assinar os contratos, a Secretaria de Patrimônio da União firmou quatro contratos emergenciais. A nota cita declaração da secretária de Patrimônio da União, Alexandra Reschke, de que o governo foi surpreendido com a não assinatura do contrato. Alexandra disse que, ainda de acordo com a nota, não existe nenhum fato novo capaz de justificar a assinatura de outro contrato emergencial.

A nota informa ainda que o acesso ao morro do Corcovado poderá ser feito pela cooperativa de vans que opera no local ou por automóvel nos habituais acessos por terra via Santa Tereza, Laranjeiras ou Catete. O trem do Corcovado é patrimônio pertencente à União Federal e integra o Parque Nacional da Tijuca.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG