Star Trek nos cinemas - Brasil - iG" /

Trekkers ansiosos ante a estréia do novo Star Trek nos cinemas

Os devotados fãs da série de TV e cinema Star Trek (Jornada nas Estrelas) estão contando as horas para o lançamento da mais recente versão da famosa franquia de ficção científica nos cinemas neste fim de semana.

AFP |

As críticas elogiosas antecipadas pelas exibições-teste e de pré-estréia garantem que a nova empreitada do cotado diretor e produtor J.J. Abrams deve valer aos estúdios da Paramount um dos 'blockbusters' de maior sucesso do ano.

A decisão de Abrams de 'audaciosamente ir aonde nenhum' outro produtor de "Star Trek" jamais esteve e abordar a juventude de Kirk, Spock, McCoy e companhia é considerada um verdadeiro desafio para os fãs da saga - os exigentes trekkers -, muito zelosos em relação ao cânone das aventuras da tripulação da nave estelar Entreprise iniciadas nos anos 60 pelas mãos do criador Gene Roddenberry, já falecido.

Os analistas da indústria, no entanto, consideram acertada a aposta de Abrams - criador de sucessos televisivos como "Alias - Codinome Perigo" e principalmente "Lost" - em escolher um elenco jovem e desconhecido para atrair uma nova legião de fãs e reativar a mitologia e a franquia de Star Trek.

Dessa forma, coube a Chris Pine a tarefa de viver o heróico capitão James T. Kirk e a Zachary Quinto (o vilão Sylar, da série "Heroes") o desafio de encarnar o mítico vulcano Spock, eternizado pelo veterano ator Leonard Nimoy, que faz uma participação importante no novo filme.

Mesmo divididos a respeito do resultado final, os fãs estão definitivamente ansiosos para ver nova versão.

Will Steinsiek, um arquivista de 58 anos que transformou sua casa em Albuquerque num verdadeiro templo de adoração a Star Trek, admite que está tenso em relação ao que vai ver no novo filme.

"Estou ansioso, mas também com muito medo. O que eles vão fazer com o cânone da série?", questiona Steinsiek. "Estamos esperançosos de que tudo saia certinho, e que não prejudiquem os personagens".

"Espero que o novo filme não deturpe a ideologia de Star Trek, sua visão positiva do futuro, o caráter de personagens que nos são tão importantes, o sentido de humanidade, lealdade e moralidade que todos eles representam", explicou.

Outros fãs são mais radicais. Jeffrey Smith, 45 anos, de Cincinnati, declarou ao jornal USA Today que o filme de Abrams "vai destruir 700 anos de história do universo da série".

Abrams, por sua vez, não se preocupa em defender a abordagem que escolheu para o filme, só afirma que, apesar de nunca ter sido um fã ardoroso da obra original, se envolveu profundamente no processo de releitura.

"O desafio foi fazer um novo filme de Star Trek, apesar de seus 40 anos de existência, suas cinco séries e 10 filmes anteriores", declarou.

"O culto em torno de Star Trek é muito forte. Contudo, eu não queria fazer um filme que apenas agradaria aos trekkers. Por isso, sem trai-los, eu queria que esse filme fosse um bom espetáculo para todos".

Bonnie Malmat, 50 anos e editor do site TrekToday.com, concorda que a franquia estava precisando mesmo de um "reboot".

"Não tenho problemas com reformulações desde que isso conquiste novos fãs. Precisamos de novos fãs. Os últimos filmes não foram muito bons. Escolher um novo elenco é uma idéia interessante".

Malmat diz ainda que as reações de fãs que tiveram acesso ao filme nas pré-estréias têm sido muito positivas.

"Eles estão empolgados. Os fãs de Star Trek são muitos e nem sempre concordam com tudo, mas acredito que, discordando ou não, todos querem ver e vão ver o filme", acrescentou.

Robert Thompson, especialista em cultura pop da Universidade de Syracuse, avalia que a mitologia de "Star Trek" pode muito bem ser adaptada para refletir uma nova era num mundo mais real.

"Esse é um universo, com seus personagens, regras, folclore e tudo mais, e que pode ser recriado a cada nova geração, das maneiras mais diferentes possíveis", explicou.

"A primeira série representou perfeitamente os anos 60 com sua mensagem de contracultura. Star Trek tem condições de fazer a interpretação de tempos específicos".

"Se você assistir os 10 filmes de cinema de uma vez só, em sequência, vai perceber que eles mudaram. Star Trek fala de quem somos nós em períodos diferentes da história".

Muita gente também parece achar que o filme terá o tom de otimismo despertado pela eleição do presidente Barack Obama.

"Já ouvi gente dizendo: 'Ah, Star Trek é um filme otimista da era Obama", contou ele à revista Entertainment Weekly.

"A verdade é que começamos a filmar há três anos, quando Obama apenas estava avaliando disputar a presidência. Mas é uma teoria interessante", concluiu.

tq/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG