PORTO VELHO - O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Rondônia cassou, nesta terça-feira, o diploma do governador do Estado, Ivo Cassol (sem partido), e determinou a realização de nova eleição para o cargo em 14 de dezembro deste ano. O senador Expedito Júnior (PR-RO) também teve seu mandato cassado pelo tribunal.

Acordo Ortográfico

Os dois políticos e os ex-candidatos a deputado Valdelise Martins dos Santos Ferreira (PPS) e José Antônio Gonçalves Ferreira (PSDC) são acusados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de captação ilícita de sufrágio e abuso de poder nas eleições de 2006.

Agência Brasil
Agência Brasil

Governador de Rondônia, Ivo Cassol, teve o mandato cassado pelo TRE

A relatora do caso, desembargadora Ivanira Feitosa Borges, ficou convencida do envolvimento do governador e do senador no esquema de compra de votos denunciado pelo MPE.

"Diversos fatos podem ser citados como exemplo. Eles fizeram campanhas juntos, conforme notórias aparições públicas. Foram fotografados juntos", afirmou a magistrada, segundo o TRE.

"O governador usou a máquina administrativa pública para tentar ocultar a compra de votos que o beneficiou em conjunto com Expedito, Val Ferreira e José Antônio", concluiu.

O presidente da Corte, desembargador Cássio Guedes, e a maioria dos juízes acompanharam o voto da relatora. Além de cassar o diploma de Cassol e Expedito, o TRE declarou a inelegibilidade deles até 2009 e a nulidade dos votos obtidos em 2006, multou todos entre 5 mil e 95 mil Unidades Fiscais de Referência (Ufirs) e anulou a última eleição para o governo de Rondônia.

Veja também:

Leia mais sobre: Ivo Cassol

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.