Tratamento de Dilma não muda indicação para 2010, diz Berzoini

BRASÍLIA - O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini, reiterou neste sábado que a indicação da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, como candidata do partido para a Presidência da República em 2010 continua sendo a melhor opção para unificar a legenda.

Sarah Barros |

A necessidade de quimioterapia nos próximos quatro meses, após a retirada de um pequeno tumor no sistema linfático, não mudaria "em nada" as conversas sobre o tema.

"Mesmo porque as eleições ocorrem só no ano que vem. [...] Estamos em conversas em nível partidário, mas sem previsão de uma decisão", destacou Berzoini.

O presidente do PT soube neste sábado do problema enfrentado por Dilma. Ele afirmou estar otimista e confiar em uma recuperação rápida da ministra. "Tenho pessoas de meu convívio que já passram por este tipo de problema. O linfoma, quando diagnosticado precocemente, tem chances elevadas de cura", afirmou.

O tratamento de quimioterapia deverá durar quatro meses e será aplicado em sessões realizadas no hospital a cada três semanas. De acordo com a equipe médica, composta por Roberto Kalil Filho (cardiologista), Paulo Hoff (oncologista clínico), e Yana Augusta Sarkis Novis (hematologista), a ministra encontra-se, neste momento, sem "evidência da doença ativa" (não há mais nenhum tumor) e fará a quimioterapia por segurança. Yana enfatizou que, como a doença está no estágio inicial, há grande chance de cura.

Ao falar sobre a doença, a ministra Dilma afirmou, em São Paulo, que suas atividades oficiais não serão alteradas e também demonstrou confiança em sua rápida recuperação.

Veja em vídeo trecho da declaração de Dilma Rousseff:

Leia também:

Leia mais sobre Dilma Rousseff

    Leia tudo sobre: dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG