São Paulo - O procurador Rodrigo de Grandis, do Ministério Público Federal em São Paulo, demonstrou descontentamento com a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, que suspendeu a prisão preventiva do dono do Banco Opportunity, Daniel Dantas, ao deixar apressadamente a carceragem da Polícia Federal, na capital paulista, onde acompanhava o depoimento do banqueiro.


Transmito os meus sentimentos, respondeu de Grandis, ao ser questionado por jornalistas sobre o posicionamento do presidente do STF.

A prisão preventiva de Dantas tinha sido decretada nesta quinta-feira pelo juiz Fausto de Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo. O banqueiro foi investigado na Operação Satiagraha da PF e é acusado de comandar uma organização criminosa, envolvida em práticas de lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha.

Leia também:


Leia mais sobre: PF


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.