Transmissão do HIV diminui 64% em 10 anos

Novo balanço da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, com base nos dados da Fundação Seade, aponta que a transmissão de Aids no Estado caiu 64,4% nos últimos dez anos, mas que a taxa de mortalidade apresentou ligeira alta pela primeira vez desde 1995.

Agência Fapesp |

O estudo mostra que a incidência da doença em 2008 foi de 12,2 óbitos por 100 mil habitantes, contra 34,3 em 1998, o pior ano de contágio por HIV da década de 1990 em São Paulo. Entre os homens a queda na transmissão chegou a 65%, enquanto entre as mulheres a diminuição chegou a 63,5%.


Em 2008, foram notificados ao todo 5.012 casos de Aids no Estado. A faixa etária com maior incidência de HIV continua sendo a de 30 a 39 anos de idade, com 26,2 casos por 100 mil habitantes, seguida pela de 40 a 49 anos, com 24,0.

Já a mortalidade por Aids foi de 8,2 óbitos por 100 mil habitantes no ano passado, contra 8,0 em 2007, interrompendo as quedas sucessivas registradas ao longo dos últimos 13 anos. O resultado foi influenciado pelo aumento da taxa de mortalidade entre as mulheres, que passou de 5,0 para 5,4, enquanto a dos homens apresentou discreta diminuição, de 11,2 para 11,1 no mesmo período.

Das 28 regionais epidemiológicas do Estado, 13 registraram aumento na mortalidade por Aids em 2008. A região de Barretos apresenta a pior taxa, com 15,1 óbitos por 100 mil habitantes (em 2007 eram 13,4). Na capital o índice passou de 8,8 para 9,6 no mesmo período. Já na região de Itapeva, que apresenta a menor mortalidade do Estado, o índice de 2,8 representa o dobro em relação ao ano anterior.

O diagnóstico tardio ainda é um grande inimigo para o tratamento de pessoas contaminadas pelo vírus HIV. Cerca de 50% dos óbitos estão relacionados com o diagnóstico da infecção em fase avançada, de pacientes que já apresentam os sintomas, afirma Maria Clara Gianna, diretora do Programa Estadual de DST/Aids.

A Secretaria da Saúde decidiu prorrogar a campanha Fique Sabendo, de incentivo à testagem precoce anti-HIV no Estado de São Paulo. A campanha, iniciada em 16 de novembro e que terminaria nesta terça-feira (1º/12), disponibilizou 150 mil exames, entre eles 20 mil testes rápidos, para a população paulista.

O teste anti-HIV é oferecido em todo o país de forma gratuita e sigilosa. Informações sobre os locais de testagem no Estado de São Paulo pelo site  www.crt.saude.sp.gov.br ou pelo telefone 0800-162550.

    Leia tudo sobre: aidssaúde pública

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG