A namorada de um dos filhos do prefeito de Arujá (na Grande São Paulo), Abel Larini, e mais cinco pessoas da cidade estão entre os desaparecidos da tragédia que deixou mais de 30 mortos na madrugada de sexta-feira em Angra dos Reis, litoral sul do Rio de Janeiro. A informação foi confirmada ao iG pelo presidente da Câmara de Arujá, Abel Franco Larini, irmão de Flávio Franco Marini.

Na madrugada de sexta-feira, Emanuela Rodrigues Neto , de 30 anos, Flávio, de 31 anos, e mais 15 pessoas estavam em uma casa alugada perto da Pousada Sankay na Praia do Bananal, em Ilha Grande, quando foram surpreendidos pelo deslizamento de terra. Segundo o tenente-coronel José Paulo, subcomandante do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio, outras seis casas também foram atingidas.

O grupo de 17 pessoas, com idades entre 25 e 35 anos, havia chegado a Angra dos Reis na terça-feira (28) para passar o réveillon e pretendia voltar a Arujá no domingo (3). No grupo havia três crianças.

Flávio e mais três amigos foram lançados ao mar pela força da terra e conseguiram sobreviver. Com escoriações na perna e braço, o filho do prefeito já voltou a Arujá e está sedado. Os outros sobreviventes são Luiz Henrique Alegri, Gérson Valério e Noeli Valério.

Dos 13 restantes, cinco continuam desaparecidos. Além de Emanuela, são Fernanda Muraca, Adalto de Souza, sua namorada, Priscila, e Rafaela (filha de Adauto).

Oito corpos já foram localizados e estão no IML do Rio de Janeiro, disse o presidente da Câmara de Arujá. Os mortos são o casal Márcio e Cecília Baccin, que estava grávida de 6 meses, e o filho dos dois, Giovane, de 3 anos. Também foram encontrados os corpos dos noivos Natália Costa Pacheco e Ricardo Ferreira da Silva. Foram reconhecidos Keller Simão Neves, de 35 anos, sua namorada, Joyce Mello, Gustavo Neves (filho de Keller), de 10 anos.

"A cidade está muito triste. Ainda temos esperança de que eles sejam encontrados, mas não dá para ser muito otimista", disse Larini ao iG .

Janete Piascentirri foi prestar solidariedade aos amigos e familiares das vítimas de Arujá. Ela contou que o filho, Pablo, de 30 anos, passaria o réveillon com o grupo, mas não conseguiu sair a tempo de Rio das Ostras, onde estava. "Na última hora, meu filho teve um contratempo e não pôde ir. Ficou em Rio das Ostras com a gente. Os amigos ainda ligaram para saber se ele realmente iria para festa de réveillon."

O prefeito Abel Larini foi para Angra dos Reis nesta sexta-feira para acompanhar os trabalhos de resgate, mas neste sábado já voltou a Arujá.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.