A Noviça Rebelde , que inicia temporada em São Paulo - Brasil - iG" /

Tradução é ponto alto do musical A Noviça Rebelde , que inicia temporada em São Paulo

SÃO PAULO ¿ A tradução literal de ¿Do Re Mi¿ acabaria com a graça da música mais famosa de ¿A Noviça Rebelde¿. Na versão original, em inglês, a letra traz xícaras de chá com pão e geleia, costurar com agulhas e o feminino de veado. Na montagem que estreia nesta sexta-feira, 20 de março, em São Paulo, o clássico troca as palavras por sol, que brilha no verão, e lá, lá no cafundó.

Nara Alves, repórter do Último Segundo |

A versão brasileira das músicas e dos diálogos, de Claudio Botelho, faz com que a história da família Von Trapp, que se passa na distante Áustria do final da década de 30, fique mais próxima do público infantil e adulto. A montagem é baseada no texto e músicas escritos para o palco, e não no filme estrelado por Julie Andrews. No entanto, quase todas as canções são as mesmas nas duas versões.

Uma exceção é a música O que é que a gente faz? (How Can Love Survive), que não está presente no filme, apenas no musical. O dueto entre as personagens Max e Elsa, caricaturas da elite austríaca alienada à iminente invasão alemã, faz a plateia gargalhar. A dupla zomba dos pobres questionando o que a gente faz se a nossa fonte jamais secou, se a água quente não congelou, se o cobertor nunca encurtou? E diz que é mais fácil amar quando não se tem dinheiro. Ricos demais, com negócios demais, não dá tempo pra dar carinho. Pobre é que é bom, pois não tem edredon e só se esquenta se tá juntinho.

Outra canção bem popular do longa é So Long, Farewell, cujo título foi mantido no original, em inglês, assim como a saudação auf wiedersehen, em alemão. As palavras estrangeiras contrastam com jururu, cantado pelas crianças em dois momentos diferentes da peça, no baile na casa da família e no festival de música.

O público que só viu A Noviça na televisão também pode estranhar algumas mudanças na ordem das canções. Coisas que eu amo aparece logo no início da montagem e é interpretada por Maria (Kiara Sasso) e pela Madre Superiora (Mirna Rubim e Vera do Canto e Mello), e não no momento em que as crianças correm para o quarto de Maria, com medo dos trovões, como no filme.

Saulo Vasconcelos, que já protagonizou A Bela e A Fera, O Fantasma da Ópera e Os Miseráveis, vive o capitão Georg Von Trapp nos palcos. A estrela dos musicais brasileiros tem apenas um solo, longamente ovacionado, em Edelweiss. A música que homenageia a flor-símbolo da Áustria é apresentada apenas na cena do festival, e não se repete no casarão da família, quando as crianças se reúnem para cantar. No CD da versão brasileira, quem interpreta o capitão é o ator Herson Capri. Seria injusto comparar as duas performances, mas Capri não faz feio no CD.

Serviço ¿ "A Noviça Rebelde"

Teatro Alfa
Quintas, 21h, e sextas, 21h30
Setor Vip: R$ 140 / Setor I: R$ 120 / Setor II: R$ 60 / Setor III: R$ 40
Sábados, 17h e 21h - Domingos, 16h
Setor Vip: R$ 180 / Setor I: R$ 160 / Setor II: R$ 80 / Setor III: R$ 60

Venda para grupos: (11) 3437-5308
Classificação etária: 5 anos
Duração: 2h45 (com intervalo de 15 minutos entre os dois atos)
Endereço: Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, Santo Amaro (altura do nº 18591 da Avenida das Nações Unidas, anexo ao Hotel Transamérica)

Leia mais sobre: A Noviça Rebelde

    Leia tudo sobre: musicalteatro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG