Trabalho social imortalizou Zilda Arns, afirma Serra

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse hoje que a médica sanitarista e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, ficou imortalizada por meio de seu trabalho. Se alguém no Brasil, individualmente, foi responsável pela queda da mortalidade infantil e pela vida de nossas crianças, foi a dona Zilda Arns.

Agência Estado |

Ninguém, individualmente, fez mais que ela", disse o governador, que esteve hoje, por volta das 16h30, no velório do corpo da médica, morta durante o terremoto que atingiu o Haiti na última terça-feira.

Por diversos momentos, Serra embargou a voz ao falar de Zilda Arns. Ele disse que o que mais o emocionou foi conhecer os netos da médica. "Todos os netos e netas dela queriam me conhecer porque tinham ouvido falar de mim pela avó", contou.

Serra destacou que tinha uma relação pessoal com Zilda Arns e que eles chegavam a trocar ideias e conselhos na área política. "Ela não assumia posições políticas de forma públicas, mas, pessoalmente, sempre me incentivou em todas as campanhas e disputas de que participei", revelou. "Dom Helder Câmara dizia que existem pessoas que a gente não enterra, mas semeia. É o caso da dona Zilda."

A Polícia Militar estima que mais de mil pessoas já passaram pelo velório do corpo de Zilda, que começou por volta das 11 horas. Alguns de seus familiares - os sobrinhos-netos Alexandre Arns Steiner e Caroline Arns Santa Cruz Arruda e a sobrinha Célia Maria Arns - cumprimentam pessoalmente e agradecem a presença de cada uma das pessoas que passam pelo velório.

Mais cedo, o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), disse que iria pedir ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que criasse um prêmio para pessoas que trabalham na área social com o nome de Zilda Arns. Disse ainda que pediria a Lula que a indicasse ao prêmio Nobel da Paz de forma póstuma.

O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), afirmou que Zilda Arns é um exemplo para todas as pessoas. Ele disse que trazia os sentimentos de todos os deputados do País. A presença do presidente Lula no velório é esperada para as 19 horas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG