¿Não tem nada apurado contra mim¿, declarou o delegado federal Protógenes Queiroz, ao ser indagado sobre o inquérito da Polícia Federal que pode ser concluído com seu indiciamento por quebra de sigilo funcional, espionagem ilegal de autoridades e políticos e uso irregular de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na Operação Satiagraha. Meu trabalho é realizado com base na lei e na Constituição, afirmou.

Praticamente isolado na instituição que integra há 10 anos, Protógenes Queiroz retornou a São Paulo na semana passada para participar de uma sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito das Operadoras de Seguros, na Assembleia.

Ao final, conversou com o Estado . Negou abusos da Satiagraha e criticou propostas para redução do prazo legal de interceptação telefônica. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.