Trabalhadores rurais doam alimentos a pobres em AL

Cerca de mil trabalhadores doaram mais de 5 mil toneladas de alimentos aos pobres de Maceió e sangue para o estoque do Hemocentro de Alagoas (Hemoal), ao participaram hoje pela manhã de uma missa campal e de um almoço coletivo em homenagem aos 25 anos da Comissão Pastoral da Terra (CPT) em Alagoas. As atividades foram realizadas no bairro do Prado, região central de Maceió, onde os trabalhadores ligados à CPT estão acampados há uma semana.

Agência Estado |

Eles chegaram à capital alagoana em caravanas de várias cidades do interior para celebrar o Dia do Agricultor, cuja data real é na próxima terça-feira.

Segundo o coordenador da CPT em Alagoas, Carlos Lima, o saldo das atividades foi positivo. "Marcamos os 25 anos de atuação em Alagoas, com a distribuição de alimentos e a doação de sangue, e ainda conseguimos uma audiência com o governador do Estado, onde apresentamos nossas reivindicações, para que a reforma agrária seja acelerada em Alagoas e que os crimes no campo sejam apurados", afirmou Lima. De acordo com o coordenador, nos últimos vinte anos, já foram assassinados 42 trabalhadores rurais sem-terra em Alagoas. "Ninguém foi preso. Os que foram, dias depois estavam em liberdade", denunciou Carlos Lima, acrescentando que "reforma agrária não se faz apenas com luta no campo, se faz com política social, com política agrária, com distribuição de renda".

Para a vice-coordenadora da CPT em Alagoas, Heloísa Amaral, o Dia do Agricultor é uma data muito importante, é uma forma de reconhecer os esforços do trabalhador do campo. "Somos mulheres, homens e jovens que, todos os dias, enfrentam as diferentes adversidades, cultivando a terras, produzindo e gerando empregos e renda. Estamos ajudando a construir a grandeza do Brasil, ajudando-o a ter prosperidade na agricultura", defende ela.

#ET

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG