Trabalhadores do Cimento Social prometem protesto contra embargo

RIO DE JANEIRO ¿ Trabalhadores do projeto Cimento Social, que prevê a reforma de 782 casas no Morro da Providência, no Centro do Rio, prometem realizar um protesto nesta quarta-feira, contra o embargo das obras. A primeira etapa do projeto tinha o objetivo de reestruturar 80 imóveis, mas, por causa da paralisação feita pela Justiça Eleitoral nessa terça, apenas 50 foram concluídos.

Redação |


Das 30 casas ainda inacabadas, 16 estão sem telhados, o que vem revoltando os moradores da localidade. Cerca de 150 operários que trabalhavam nas obras também não receberam bem o embargo do juiz Fábio Uchoa , chefe da fiscalização eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), e prometem fazer manifestação na Providência.

A expectativa dos trabalhadores é que o TRE garanta a finalização das obras em esquema de mutirão. O Batalhão de Choque da Polícia Militar reforçou o policiamento no bairro da Gamboa.

O secretário de Assistência Social, Marcelo Garcia, acenou que pretende encaminhar as 16 famílias para um hotel e finalizar a adequação desses imóveis em situação mais crítica. Ele informou que se o Ministério das Cidades aprovar o protocolo 12.201, enviado pela prefeitura no ano passado para reformar residências na comunidade, a administração municipal irá concluir as obras.

O ministério tem até o dia 5 de julho para garantir a aprovação do protocolo. Depois desse período, em virtude das eleições, não podem ser feitos repasses para os municípios. A prefeitura pede outros R$ 3 milhões para a finalização das obras.

Leia também:

    Leia tudo sobre: tortura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG