Cerca de 1.100 trabalhadores da construção civil pararam as obras dos edifícios residenciais do complexo Parque Cidade Jardim, na zona oeste de São Paulo.

A decisão ocorreu após assembléia com representantes do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP) realizada em frente ao canteiro de obras. A reunião fechou duas faixas da Marginal Pinheiros das 7h30 às 9 horas.

Os operários protestavam contra o atraso no pagamento de salários e falta de concessões de benefícios, como vales-transporte e cestas básicas, em 21 das 114 empreiteiras contratadas para trabalhar no local. "Recebemos as denúncias há dois meses, mas tivemos dificuldades em negociar com a construtora Matec, que é responsável pelas contratações", diz Antonio de Sousa Ramalho, presidente do Sintracon-SP.

Às 14 horas, representantes da Matec Engenharia e das empreiteiras vão se reunir com membros do sindicato na sede do Sintracon-SP. Amanhã de manhã os trabalhadores devem fazer nova reunião para decidir se continuam parados. "Eu pedi para o meu assessor de base parar as obras, porque havia irregularidades", informou Ramalho. Segundo Ramalho, a empresa disse que não tinha conhecimento das irregularidades na área. A Matec Engenharia deve divulgar, mais tarde, um posicionamento oficial sobre o ocorrido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.