Toyota anuncia fábrica para 150 mil carros em Sorocaba

O presidente da Toyota Mercosul, Shozo Hasebe, oficializou ontem ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao governador de São Paulo, José Serra, a construção de uma nova fábrica em Sorocaba (SP), conforme antecipou o Estado na semana passada. A unidade entra em operação em 2011, para produzir 150 mil unidades ao ano de um carro compacto que ainda está sendo desenvolvido pela empresa no Japão, com ajuda de engenheiros brasileiros.

Agência Estado |

A nova fábrica vai empregar 2,5 mil funcionários. A montadora não informou o investimento no projeto, cujas obras começam no próximo ano, mas o ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge - que participou do encontro com Lula -, calcula que ficará entre US$ 600 milhões e US$ 700 milhões. No mercado, há quem aposte que possa chegar a US$ 1 bilhão, já que o projeto pode incluir uma fábrica de autopeças.

Com o novo carro, cujo volume de produção só perderia hoje para o Gol e o Palio, ambos com mais de 200 mil unidades ao ano, a Toyota pretende finalmente disputar mercado com as quatro grandes do setor: Fiat, Volkswagen, GM e Ford. Maior montadora do mundo, posto tirado da GM neste ano, a Toyota tem menos de 3% de participação nas vendas no Brasil, com 34,6 mil unidades no primeiro semestre.

"Queremos estar entre as quatro maiores fabricantes do Brasil. Podemos demorar, mas vamos chegar lá", declarou, em 2004, o então presidente da Toyota, Hiroyuki Okabe. Na época, a montadora previa chegar em 2010 com 10% de participação no mercado nacional. Porém, diante da demora da matriz em se decidir pelo novo produto, o plano foi prorrogado.

A Toyota é hoje a oitava marca no ranking de vendas no País. Em 2007 estava em quinto lugar. O Corolla, fabricado em Indaiatuba (SP), vendeu 17 mil unidades no primeiro semestre. Seu principal concorrente, o Honda Civic, vendeu 31,2 mil.

Ontem, a Toyota evitou a imprensa por não ter detalhes do projeto, embora fale da necessidade de produzir um carro popular no País desde a instalação da fábrica em Indaiatuba, em 1998. As audiências com Lula, pela manhã, e com Serra, à tarde, ocorreram a portas fechadas. Uma breve nota divulgada no início da noite informava que a empresa adquiriu um terreno de 3,7 milhões de metros quadrados em Sorocaba para a construção da nova fábrica no Brasil, onde produzirá um veículo compacto.

Além do sedã médio Corolla, a Toyota produz em em Indaiatuba a perua Fielder e importa modelos da Argentina, Japão e EUA. Também tem uma fábrica de autopeças em São Bernardo do Campo (SP), onde produziu, no passado, o jipe Bandeirante. Está no Brasil há 50 anos.

101 reuniões

Serra informou que o Estado ofereceu à companhia um incentivo fiscal por meio do programa Pro-Veículos. "O programa prevê o ressarcimento de crédito do ICMS. Isso não é guerra fiscal", disse. Outros nove Estados disputaram a fábrica. Segundo o governador, Hasebe informou que a companhia pretende instalar também na região uma nova fábrica de peças.

Durante um ano e meio, dirigentes da Toyota reuniram-se oficialmente 101 vezes com a prefeitura de Sorocaba, revelou o prefeito Vítor Lippi. Segundo ele, a Prefeitura devolverá parte da receita extra gerada para o município de impostos como o ICMS. "Nos primeiros anos, vamos devolver cerca de 50% do que arrecadarmos a mais de imposto." A montadora também será isenta do recolhimento de ISS e de IPTU, conforme prevê a legislação. As informações são do O Estado de S. Paulo

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG