Tony Blair descarta virar vegetariano para salvar o planeta

LONDRES (Reuters) - O ex-premiê britânico Tony Blair descartou a idéia de tornar-se vegetariano para enfatizar os perigos do desmatamento, em sua campanha contra o aquecimento global. Blair, que apóia um plano para reduzir pela metade a emissão de gases causadores do efeito estufa até 2050, disse que o desmatamento emite quatro vezes mais gases do que a indústria aérea.

Reuters |

'A destruição de florestas tropicais e sua conversão em plantações e pastos deve ser reduzida e revertida', disse Blair aos leitores do jornal Independent, numa sessão de perguntas e respostas.

'Por isso, pedi que os líderes do G8 apóiem os esforços para reduzir a destruição e a degradação das florestas', afirmou. 'Minimizar as emissões oriundas do setor agrícola é parte importante dos esforços para limitar a mudança climática'.

Um dos leitores perguntou a Blair: 'você vai se tornar uma vegetariano e dar exemplo?'.

Blair respondeu: 'Isso não significa que o mundo tenha de desistir da carne'.

Desde que deixou o gabinete no ano passado, depois de 10 anos como primeiro-ministro, Blair tornou-se enviado do grupo formado pelos Estados unidos, União Européia, Organização das Nações Unidas e Rússia, defendendo o crescimento econômico para os palestinos.

Ele também foi criticado por aceitar negócios lucrativos, além de acordos para publicar suas opiniões em meios impressos e discursos.

'Também estou ajudado os governos de Serra Leoa e Ruanda', acrescentou Blair. 'Gosto de grandes desafios.'

(Reportagem de John Joseph)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG