O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, garantiu hoje a um dos investigados do suposto esquema do mensalão do Distrito Federal o direito de não ser preso durante depoimento marcado para amanhã na Superintendência da Polícia Federal em Brasília. Suspeito de ser um dos arrecadadores do suposto esquema, Marcelo Toledo obteve o direito de prestar o depoimento na condição de investigado.

Nessa condição ele poderá ser acompanhado por um advogado, não terá de assinar um termo comprometendo-se a dizer a verdade e, se quiser, poderá permanecer calado diante de perguntas que possam levar à autoincriminação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.