TJ-DF nega habeas corpus a professor suspeito de matar aluna

Professor de Direito matou a aluna porque estava inconformado com o fim do relacionamento amoroso entre eles

AE |

selo

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) negou nesta quinta-feira o pedido de habeas corpus a favor do professor universitário Rendrik Vieira Rodrigues, de 35 anos, suspeito de assassinar a estudante Suênia Souza Farias, de 24 anos . A decisão é do desembargador George Lopes Leite, da 1ª Turma Criminal, que já havia negado a liminar no último dia 4.

No último dia 4, a Justiça negou o pedido de revogação de prisão do professor. Rodrigues e Suênia mantiveram um relacionamento amoroso enquanto ela estava separada do marido. Suênia foi morta no dia 30 de setembro.

Rendrik disse à polícia que estava inconformado com o fim do relacionamento, pois Suênia havia reatado com o marido. O professor esperou a vítima sair da faculdade e a matou com tiros na cabeça e no tórax. Após o crime, Rodrigues circulou com o corpo da vítima no carro por algumas horas e se entregou.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG