TJ do RJ proíbe Marcha da Maconha em Ipanema

O Tribunal de Justiça do Rio acolheu pedido do Ministério Público Estadual e cancelou no início dessa noite a Marcha da Maconha, prevista para amanhã, a partir das 14 horas, do Arpoador até o Posto 9, em Ipanema. O procurador-geral de Justiça, Marfan Vieira, entrou com ação contra o evento após uma representação encaminhada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PMDB-RJ).

Agência Estado |

"Não se trata de censura ao debate necessário sobre o melhor tratamento jurídico que se deva dar ao uso da maconha. O debate deve ser feito nos meios acadêmicos e nas casas legislativas e não em praça pública, já que os seus participantes podem estar, em tese, cometendo o crime de induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido da droga." Estes foram alguns dos argumentos do deputado na representação.

Para Renato Cinco, organizador da marcha no Rio, a medida "não condiz com o espírito democrático". "Se pode ter marcha pela legalização do aborto, pela pena de morte, por que não pode para discutir a lei das drogas neste país?" Cinco, porém, fez um alerta para quem pretendia ir ao evento. "Quero orientar essas pessoas para que não compareçam ao local, a fim de não caracterizar uma desobediência à decisão judicial.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG