Título de filme de Herzog gera problema com Ferrara em Veneza

Por Cindy Martin e Mike Collett-White VENEZA, 9 de setembro, 11:52 (Reuters) - Houve mais desentendimentos no Festival de Cinema de Veneza em torno de Bad Lieutenant: Port of Call New Orleans, filme estrelado por Nicolas Cage e cujo título é inspirado no clássico cult de 1992 Bad Lieutenant, de Abel Ferrara (exibido no Brasil como Vício Frenético).

Reuters |

"Bad Lieutenant: Port of Call New Orleans" foi dirigido pelo alemão Werner Herzog, que afirma nunca ter visto o original de Ferrara e diz que seu filme, que também trata de um detetive perturbado, não deve ser comparado ao original.

Mas, quando Abel Ferrara soube da ideia de um filme tirar seu título de seu trabalho estrelado por Harvey Keitel, ele reagiu declarando: "Espero que essa gente morra no inferno."

O diretor, que está em Veneza para apresentar "Napoli Napoli Napoli", seu retrato de Nápoles, disse que não tem um problema com Nicolas Cage ou Werner Herzog, mas com os produtores não identificados que decidiram usar seu título.

"Meu problema é com os produtores", disse ele à Reuters em Veneza, onde Herzog também esteve com dois de seus filmes participando da competição principal.

"Não tenho problema com Werner", disse Ferrara. "Quanto a Nicolas, eu nunca poderia ter um problema com um ator, sabe o quero dizer? Como diretor, me sinto pai de todos os atores ou irmão deles."

"Aquele filme ('Vício Frenético') foi feito sem que ninguém ganhasse um centavo. Então você volta e usa aquela marca registrada para fazer um filme com o qual pessoas ganham milhões de dólares, e com uma pessoa envolvida naquele filme envolvida neste filme. Isso é inaceitável, ok? Inaceitável."

"NÃO BEBO UÍSQUE"

Mais no início do festival Herzog, respondendo a uma pergunta sobre a relação entre os dois filmes, admitiu que o título escolhido se deveu à pressão de um de seus produtores, que queria convertê-lo em "uma espécie de franquia".

Ele disse que insistiu em acrescentar as palavras "Port of Call New Orleans" para diferenciar seu filme do trabalho de Ferrara.

Indagado sobre a crítica de Ferrara, Herzog disse: "Não tenho problema nenhum com isso. Mas eu gostaria que Abel Ferrara visse meu filme, e se eu souber que ele assistiu ao meu, prometo que assistirei ao dele."

Ele acrescentou que ele e Ferrara deveriam se encontrar em torno de uma garrafa de uísque.

Ferrara respondeu: "Não bebo uísque, bebo cerveja. Bebo Budweiser."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG