Testemunhas de acusação começam a prestar depoimento sobre o caso Isabella

SÃO PAULO - O juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri, ouve as testemunhas de acusação do caso Isabella nesta terça-feira. Segundo informações da assessoria do Tribunal de Justiça, a perita Rosangela Monteiro presta depoimento desde as 14h.

Redação com agências |

Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni, acusados pelo assassinato de Isabella de Oliveira Nardoni, estão no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo, e acompanham os depoimentos das testemunhas.

Segundo informações da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça, antes de entrar na sala para acompanhar os depoimentos, Anna Carolina e Alexandre estavam em uma cela. Apesar de poderem conversar, os dois - que estão algemados - não se falaram desde que chegaram ao Fórum.

Entre terça e quarta-feira, Fossen ouvirá 18 testemunhas indicadas pelo Ministério Público. De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça, entre os depoimentos, desta terça-feira, estão os do Dr. Paulo Sérgio Tiepo Alves (IML), Dr. José Antônio de Moraes (perito), Dr. Renata H. da Silva Pontes (delegada), Alexandre de Luca (sub-sindico do edifício London), Paulo César Colombo, Karen Rodrigues da Silva (síndica) e mais uma testemunha não identificada.

A mãe de Isabella, Ana Carolina de Oliveira, e os avós maternos da menina, José Arcanjo de Oliveira e Rosa Maria Cunha de Oliveira, estão entre as 10 testemunhas a serem ouvidas na quarta-feira, também no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo.

A madrasta e o pai de Isabella estão presos desde 8 de maio e foram transportados de Tremembé, no interior de São Paulo, até o Fórum em veículos da Secretaria de Assistência Penitenciária, escoltados por carros do Batalhão de Choque da Polícia Militar. Ela chegou pouco depois das 10h e ele, por volta das 10h30. Anna Carolina e Alexandre são acusados de homicídio triplamente qualificado.

As testemunhas relatarão ao juiz o que viram e ouviram no dia da morte de Isabella, na frente dos acusados. Os advogados de defesa farão perguntas às testemunhas, mas Alexandre e Anna Carolina não poderão se manifestar.

Para Ricardo Martins, um dos advogados de defesa do casal, o momento servirá para esclarecer os fatos. "Queremos esclarecer tudo o que a acusação disse até agora, para que a verdade apareça", afirmou o advogado.

Isabella, de 5 anos, foi morta no dia 29 de março. Segundo o laudo da Polícia Científica, a menina foi agredida, esganada e jogada da janela do apartamento onde morava Alexandre, seu pai, no 6º andar do Edifício London. O casal afirma ser inocente.

Peritos

A defesa entregou a Fossen, na quinta-feira passada, uma justificativa para a convocação de dois peritos como testemunhas de defesa. O juiz havia questionado a indicação do médico George Sanguinetti e da ex-perita Delma Gama. Eles foram contratados pela família de Alexandre para analisar os laudos da perícia paulista. Não testemunharam, no entanto, o crime que vitimou Isabella. Martins disse que o juiz ainda não se manifestou.

(*com informações da Agência Estado)

Leia mais sobre: Caso Isabella

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG