Testemunha em processo contra Nenê Constantino é baleada

Marques iria prestar novo depoimento em março; Polícia investiga se atentado está ligado a processo contra Nenê

Severino Motta, iG Brasília |

João Marques dos Santos, ex-funcionário do empresário fundador da Gol, Nenê Constantino, foi baleado na última sexta-feira após deixar sua casa em Águas Lindas de Goiás, no entorno de Brasília. Ele é um dos envolvidos no processo que seu ex-patrão responde pela tentativa de assassinato de seu genro e pela morte do líder comunitário Márcio de Sousa Brito, que teria invadido o terreno de uma companhia de ônibus de Nenê. Ferido, João está hospitalizado e protegido por forte aparato policial. Ele, que em depoimentos acusou o antigo chefe de ser mandate dos crimes, iria depor novamente no dia primeiro de março.

João está num hospital de Brasília e, por medidas de segurança, foi registrado com outro nome. Segundo fontes da polícia, ele levou quatro tiros de 13 que foram disparados. Dois acertaram sua barriga, um a panturrilha e um sua perna. Ele deve deixar o hospital entre amanhã e quinta-feira e deve ingressar no programa de proteção à testemunha enquanto as autoridades investigam se há alguma ligação entre o atentado com o processo contra Nenê.

A delegada da Coordenação de Crimes Contra a Vida (Corvida) da Polícia Civil, Mabel Alves de Faria, chefe das investigações do crime à época, acompanhada do promotor que cuida do caso, Bernardo Urbano, teria tomado depoimento de João Marques nesta segunda-feira, no hospital. Nenê foi preso em dezembro passado pelas acusações de assassinato e liberado dias depois.

    Leia tudo sobre: nenêassassinatogolprocessotestemunha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG