Washington, 30 jun (EFE).- O cantor americano Michael Jackson redigiu um testamento em 2002, o último conhecido, por enquanto, no qual divide sua herança entre a mãe, os três filhos e algumas organizações beneficentes, e exclui o pai, Joseph, informa hoje o jornal The Wall Street Journal.

O documento, acrescentou o jornal, "poderia ter papel central na determinação de como serão divididas as complicadas relações financeiras" do artista, que morreu na quinta-feira passada, aparentemente por uma parada cardíaca.

Ontem mesmo, os pais do artista, Katherine e Joseph, apresentaram um pedido nos tribunais para assumir os assuntos legais do "rei do pop", não só de tramitar seu patrimônio, mas também da tutela dos três filhos do cantor.

Em entrevista coletiva posterior, Joseph Jackson, de 80 anos, disse que a família acredita que o cantor morreu sem fazer testamento.

Mas, nos últimos dias, alguns meios de comunicação informaram que um dos advogados de Michael tinha um em custódia.

O "Wall Street Journal" indica, segundo vários informantes, que o advogado do artista apresentará o documento ao Tribunal Superior de Los Angeles (Califórnia) talvez na quinta-feira, por considerar que é o último redigido.

O mais curioso deste testamento é que deixa de fora da herança o pai do cantor, com quem sempre teve uma relação complicada, e a quem acusou de tê-lo maltratado quando pequeno.

O advogado L. Londell McMillan, que já representou Michael Jackson por um tempo, ficou a cargo agora dos interesses da família, que novamente aparece unida em uma tentativa de assumir o legado do artista.

O advogado acompanhou ontem os pais do "rei do pop" ao tribunal, para tentar conseguir a custódia dos filhos de Michael. O juiz concedeu a guarda de maneira temporária, até a audiência de 6 de julho.

O suposto testamento redigido em 2002 designa como executores o advogado John Branca e um "veterano executivo da indústria musical chamado John McCain e que era amigo" de Michael.

"A concessão do patrimônio de Michael Jackson provavelmente será um assunto espinhoso, dado o tamanho e a complexidade tanto dos ativos quanto das dívidas envolvidas", afirmou o jornal.

Michael Jackson acumulou durante a vida um grande patrimônio, mas esteve envolvido nos últimos anos em complicações por causa de sua dívida crescente, de empréstimos e refinanciamentos dos bancos.

Mesmo assim, acredita-se que seu patrimônio supera em cerca de US$ 200 milhões o total da dívida, que é de aproximadamente US$ 500 milhões, segundo o jornal.

A posse de maior valor sentimental para Jackson, seu rancho Neverland, tem um futuro incerto, depois que, no ano passado, descumpriu pagamentos no valor de US$ 24,5 milhões.

A propriedade está nas mãos desde então de uma sociedade, a Sycamore Valley Ranch, da qual Michael participava, mas não se sabe o que ocorrerá com a mansão após ser executada. EFE jab/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.