Terroristas explodem mausoléu de poeta no Paquistão

Islamabad, 5 mar (EFE).- Um grupo de terroristas explodiu hoje o mausoléu de um reconhecido poeta paquistanês do século XVII nos arredores de Peshawar, no noroeste do país, informou a Polícia local.

EFE |

Os agressores, apontados como talibãs, destruíram o túmulo e causaram graves danos no santuário do poeta de tradição sufi Rehman Baba (1650-1715), segundo policiais citados pelos canais de televisão paquistaneses.

Rehman Baba é considerado o autor da língua pashtun mais lido e citado tanto no Paquistão quanto no Afeganistão onde vive este grupo etno-linguístico.

Segundo a imprensa local, os terroristas já haviam ameaçado atacar o mausoléu, caso ele continuasse sendo visitado por mulheres.

O sufismo é uma corrente mística e moderada do Islã, que teve um papel importante quando esta religião se expandiu pela Índia e arredores, e é antagônico ao totalitarismo dos talibãs.

Em comunicado, a presidente da Comissão de Direitos Humanos do Paquistão, Asma Jahangir, denunciou o ataque e tachou de "irônico" que os insurgentes tenham atentado contra o santuário de um poeta "reverenciado por se opor à opressão, e defender a paz e a tolerância".

"O ataque demonstra em que tipo de país os fanáticos talibãs querem transformar o Paquistão", ressaltou, acrescentando que "a deterioração da segurança no país é alarmante", e que resolver a situação requer "maior atenção" e "urgência".

"Hoje é o mausoléu de Rehman, amanhã será uma instituição educativa de mulheres. As escolas femininas já são alvos habituais", alertou. EFE igb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG