¿Terra Vermelha¿ abre Mostra de SP; veja os destaques da programação de sexta-feira

SÃO PAULO ¿ A largada para a 32ª edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo será dada na noite desta quinta-feira (16), em uma sessão exclusiva para convidados no Auditório Ibirapuera. Depois da cerimônia de abertura, será exibido o filme ¿Terra Vermelha¿ que, apesar de ter sido dirigido pelo italiano Marco Bechis, tem equipe e elenco brasileiros, com diálogos em português e guarani.

Redação |

Acordo Ortográfico

Nascido no Chile, Bechis também morou na Argentina e no Brasil quando era criança, antes de se mudar com a família para a Itália. Foi nessa época, em São Paulo, que teve contato com a difícil realidade indígena no País. Eu era garoto e via aqueles índios na rua. Viviam numa situação de penúria e eu não entendia quem eram aquelas pessoas.

Abrísio da Silva Pedro, protagonista
de "Terra Vermelha" / Divulgação

Depois de viajar e conhecer diversas comunidades indígenas, entre elas os yanomami, na Amazônia, Bechis resolveu situar a história em Dourados, no Mato Grosso do Sul, onde os guarani kaiowá, encurralados em reservas, sofrem com a falta de terra e os latifúndios das fazendeiros da região. Há 15 anos estavam cercados pela selva, e, agora, por enormes extensões de campos cultivados. Os índios não têm uma vida feliz, é preciso ajudá-los, é terrível cultivar soja para produzir etanol. Além disso, são usados pesticidas, toda água que os índios usam está contaminada. Uma situação perversa.

Em Terra Vermelha, uma onda de suicídios abala a comunidade guarani-kaiowá e estimula os índios a voltarem para a terra onde viviam originalmente. O pajé acredita que a migração e a interferência do homem branco sejam os motivos da decadência e, portanto, o resgate da cultura e das origens irá melhorar a situação. Como o local hoje pertence a um fazendeiro (Leonardo Medeiros), o grupo monta acampamento no terreno e deixa o clima tenso entre os funcionários do local.

O filme mostra um retrato chocante da vida dos guarani na própria sequência  de abertura. Um grupo de turistas passeia de barco com binóculos em punho, observando a fauna local. De repente, para sua surpresa e deleite, se deparam com diversos índios na margem, seminus, com arco e fecha e rosto pintado. Na cena seguinte, já com roupas ocidentais, os indígenas recebem o pagamento por representarem o papel deles mesmos.

O elenco ainda conta com a participação de Matheus Nachtergaele e da popular atriz italiana Chiara Caselli. Os astros, no entanto, são os próprios índios, bastante assediados pela imprensa internacional quando, recentemente, promoveram Terra Vermelha no Festival de Veneza. O mesmo grupo que viajou à Itália estará presente na abertura da Mostra e deve em seguida viajar pelas principais capitais para promover a estreia do filme no Brasil, prevista para 07 de novembro.

Destaques de sexta-feira

"Queime Depois de Ler" traz Clooney e Pitt dirigidos pelos irmãos Coen / Divulgação

O primeiro dia da Mostra de São Paulo já começa com força total, escalando na programação alguns dos maiores destaques desta edição. O próprio Terra Vermelha já entra em cartaz, com uma sessão às 16h no Cine Bombril. O mesmo acontece com Queime Depois de Ler¿ o aguardado filme dos irmãos Coen, com George Clooney e Brad Pitt no elenco, será exibido no Unibanco Arteplex.

Bem recebidos em festivais internacionais, Gomorra e O Casamento de Rachel devem chamar a atenção dos cinéfilos. O primeiro, dirigido pelo italiano Matteo Garrone, faturou o Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes ao mostrar a ação da máfia italiana em Nápoles. O filme fez tanto barulho que vai representar a Itália no Oscar e rendeu ameaças de morte a Roberto Saviano, autor do livro que inspirou o roteiro. Já O Casamento de Rachel, de Jonathan Demme (O Silêncio dos Inocentes), vem atraindo todos os holofotes para a jovem Anne Hathaway, postulante a uma indicação ao Oscar de melhor atriz no ano que vem.

Anne Hathway em cena de "O Casamento
de Rachel", de Jonathan Demme / Divulgação

Quem deve garantir salas lotadas, no entanto, são Guy Richie, diretor de Snatch e Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes, que retorna ao gênero de ação no submundo com RockNRolla ¿ A Grande Roubada; e o francês Michel Gondry (Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças), com sua nova investida cinematográfica, a comédia Rebobine, por favor, capitaneada por Jack Black. Venerado diretor de videoclipes, Gondry inspirou filas imensas de fãs na Mostra do ano passado, ansiosos por assistir Sonhando Acordado, seu trabalho anterior.

Entre os documentários, vale a pena conferir Os primeiros anos de Wim Wenders, interessante painel sobre as origens do cineasta alemão, homenageado desta edição da Mostra, e Chevolution , que investiga como a famosa foto de Ernesto Che Guevara registrada por Alberto Korda se tornou um símbolo mundial. E, assim como no Festival do Rio, também há uma grande participação de documentários musicais ¿ só nesta sexta, serão três: CSNY ¿ Déjá Vu, dirigido pelo roqueiro Neil Young para mostrar a turnê de retorno do grupo Crosby, Stills, Nash e Young; Africa Unite , show promovido pela família Marley para incentivar a integração do continente africano; e Loki ¿ Arnaldo Baptista, retrato da vida do antigo líder dos Mutantes. Arnaldo, inclusive, estará presente na sessão de amanhã, no CineSesc.

Confira a programação completa no site oficial, aqui no iG

* Com Agência Estado e AFP

Leia mais sobre: Mostra de São Paulo

    Leia tudo sobre: mostramostra de cinema de são paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG