Terra indígena ameaça mais que estrangeiro, diz Câmara

Subcomissão produz nota técnica em reação à restrição imposta pelo governo à compra ou arrendamento de terras por capital externo

AE |

selo

Em reação à restrição imposta pelo governo à compra ou ao arrendamento de terras por empresas brasileiras de capital estrangeiro , uma subcomissão especial da Câmara produziu um raciocínio original para defender o agronegócio.

Nota técnica da subcomissão alega que terras indígenas representam uma ameaça à soberania nacional maior do que as terras em mãos de estrangeiros. 

O argumento parte do cálculo de que os territórios indígenas somam mais de 1 milhão de quilômetros quadrados, enquanto os estrangeiros deteriam 43 mil quilômetros quadrados, levando em conta dados oficiais que a própria nota técnica reconhece como "subestimados".

"Levando-se em consideração que 12,2% do território brasileiro é ocupado por áreas indígenas (mais de 107 milhões de hectares atualmente), que, se implementadas as áreas em estudo, esse total passará de 20% e apenas 0,5% (ainda que subestimados) sejam ocupados por estrangeiros, o que pode ser considerada uma ameaça maior à soberania: terras indígenas ou terras de propriedades de estrangeiros?", diz o relatório.

    Leia tudo sobre: agronegócioterras indígenasarrendamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG