O início da construção do terminal de ônibus do Largo da Batata depende exclusivamente da liberação, pela Justiça, das obras da Linha 4 do Metrô para a construção da Estação Pinheiros. Até lá, as intervenções estarão concentradas na requalificação de ruas e calçadas da região.

Chamado de terminal intermodal - que liga outros meios de transporte ao ônibus - essa nova parada terá acesso tanto para quem usa os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) quanto para quem usar a futura estação de metrô. Embora seja um terminal de superfície, o acesso dos passageiros às plataformas será subterrâneo, pela Rua Capri. Segundo o arquiteto Jaime Waisman, o terminal será adjacente à atual cratera da Estação Pinheiros. Ela precisa ser tapada, para as obras começarem.

Internamente, um bicicletário vai completar a característica intermodal da parada, que vai ser coberta e terá saída para a Rua Capri. "As condições serão melhores para o passageiro, que hoje espera pelo ônibus ou faz baldeação na rua, sujeito a chuva e sol", acrescenta.

De acordo com o engenheiro, que é especialista em trânsito, a tendência é haver uma readequação das linhas de ônibus, com uma melhor distribuição para os bairros. Com isso, acredita, o trânsito em vias importantes do entorno, como Rebouças e Eusébio Matoso, poderá ser bem mais organizado.

Segundo o gerente de obras da Emurb, Norberto Duran, o terminal intermodal de ônibus terá uma praça de 5 mil m² na Rua Capri. Para suportar o tamanho e o peso dos veículos, as Ruas Sumidouro, Capri e Eugênio Medeiros serão alargadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.