Termina rebelião na cadeia de Barretos

Terminou no final da tarde a rebelião ocorrida na Cadeia de Barretos, em que o investigador Carlos Nascimento foi baleado e um carcereiro foi feito refém. Nascimento foi internado na Santa Casa, mas não corre risco de morte.

Agência Estado |

O motim começou às 14 horas. Segundo o delegado Marcos Eduardo Marques, que comandou a negociação de rendimento dos presos, o motivo talvez seja uma tentativa de fuga frustrada. A cadeia tem capacidade para 45 presos, mas estava com 141. No início da noite, pelo menos 20 detentos foram removidos para cadeias de outras cidades da região. Três das oito celas foram destruídas pelos rebelados.

Marques informou que os presos tinham um revólver 38 e atiraram no investigador. Em seguida, conseguiram render o carcereiro e abrir as celas. Porém, a Polícia Militar e policiais civis que estavam no plantão foram acionados e chegaram antes da fuga, contendo a ação dos rebelados. Um dos presos atirou uma vez contra os policiais, com a arma do carcereiro, um revólver calibre 12, acertando o portão, e houve revide, mas ninguém ficou ferido. Os presos se amotinaram no corredor, com o carcereiro refém. Depois da negociação, eles se entregaram. As duas armas foram entregues à polícia. No início da noite, uma revista começou na cadeia.

Leia mais sobre: rebeliões

    Leia tudo sobre: rebelião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG