Termina assalto com reféns em Brasília

Polícia negociou por mais de 6 horas a rendição dos bandidos, que mantiveram cinco pessoas reféns em uma casa

Severino Motta, iG Brasília |

Um dos bandidos que invadiram uma casa na quadra 711 da Asa Sul, em Brasília, na manhã desta terça-feira se entregou por volta das 15h50 e libertou mãe e filha que eram feitas reféns. O outro homem, que permaneceu no interior da residência "drogado e armado", segundo a polícia, se entregou 10 minutos depois. Outras duas mulheres - uma freira e uma grávida - já haviam sido libertadas pelos assaltantes.

Segundo a Polícia Militar, armados, os homens invadiram a residência por volta das 9h30 e estavam saindo com um dos moradores, identificado como Guilherme, de 26 anos, para realizar saques a caixas eletrônicos, quando foram suspreendidos pela polícia. A polícia foi chamada por pedreiros que trabalhavam no local e perceberam a ação dos criminosos.

Reprodução/GloboNews
Freira passou mal e foi libertada pelos assaltantes
Um dos invasores foi identificado como Adelino, de 58 anos, que possui longa ficha criminal em casos de assalto e homicídio e estava foragido após deixar a prisão em saída temporaria na Páscoa. Ele ainda tem 17 anos a cumprir. O outro assaltante, identificado como Bruno, de 29 anos, também tem passagem pela polícia por assalto e homicídio. "Eles estão consumindo tóxicos e, ao levantar a ficha criminal, vimos que eles são homicidas", afirmou o major Adriano Meirelles durante o processo de negociação.

Segundo o major Danilo Pereira, ao perceberem a chegada da polícia, os dois criminosos soltaram Guilherme e correram para dentro da casa, levando com eles a religiosa Irmã Clara, que estava entrando no local para visitar os moradores. Por volta das 15h20, ela passou mal e foi libertada.

Os assaltante fizeram reféns Miriam, de 26 anos, mulher de Guilherme, que está grávida e foi a primeira a ser libertada; Carmem, de 56 anos, que é a dona da casa; e a Irmã Clara. A polícia ainda informou que outra filha de Carmem, Mariana, de 22 anos, ficou escondida e passou informações para a polícia. No entanto, ela acabou sendo descoberta e também foi feita refém.

Negociação

Do lado de fora, auxiliaram as negociações Guilherme, que foi libertado no começo da invasão, e familiares dos assaltantes. Segundo a polícia, a irmã de Adelino e a mãe e o filho de Bruno tentaram ajudar na rendição. Mais cedo, o frei Edmilson Vaz, da Paróquia Santo Antonio, esteve no local e tentou acalmar a família.

Cerca de 80 policiais estavam no local, além de atiradores de elite e um negociador. A Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) e agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) fecharam a rua e evacuaram as casas vizinhas.

null

    Leia tudo sobre: assaltorefémbrasília

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG